Parceiros do Instituto C&A: Vozes da Moda

09/11/2018 17:53

 

Na segunda matéria da série sobre os parceiros do Instituto C&A vamos falar de um projeto que reúne trabalhadoras, empresários, organizações sindicais e o poder público para melhorar as condições de trabalho nas confecções do agreste pernambucano. Ops, peraí! Você ainda não conhece a série Parceiros do Instituto? Veja o primeiro conteúdo que conta como combatemos o trabalho forçado e o trabalho infantil.

 

Escassez de água e baixa remuneração são alguns dos desafios enfrentados pelas confecções nos municípios de Toritama, Santa Cruz do Capibaribe e Caruaru. Junto com mais 10 cidades, eles formam o segundo polo de confecções do Brasil, empregam cerca de 100 mil pessoas e produzem 900 milhões de peças por ano, segundo a pesquisa realizada pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-PE).

 

Para enfrentar os muitos desafios do setor, o projeto Vozes da Moda propõe a construção de uma agenda coletiva para essa região. Ele é realizado pelo Instituto ETHOS, o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), a Repórter Brasil e o Instituto Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo (InPACTO) e conta com o apoio do Instituto C&A, por meio do programa Melhores Condições de Trabalho.

 

“Buscamos promover o diálogo entre os setores da sociedade. Reunimos empresários, entidades sindicais, trabalhadoras do setor, poder público e membros da sociedade civil para construir uma agenda coletiva, na qual levantamos os principais desafios e discutimos maneiras de resolvê-los, sempre considerando o ponto de vista de cada elo da cadeia”, explica Milena Prado, técnica do DIEESE.

 

Após vários encontros com os representantes para apresentar o projeto e levantar as informações da região, foram realizadas oficinas com as trabalhadoras do setor sobre igualdade de gênero e trabalho decente. As formações capacitaram as mulheres para terem voz ativa na negociação por melhores condições de trabalho. E como resultado de todo esse processo, em setembro, ocorreu o primeiro Fórum de Diálogos Sociais, na cidade de Caruaru.

 

Por que o Instituto apoia?

 

“A indústria da moda emprega 1,5 milhão de pessoas no Brasil e queremos que todas elas tenham vidas dignas e possam prosperar. Nosso objetivo é potencializar a voz das trabalhadoras e facilitar a atuação delas como líderes no processo de melhoria de suas condições de trabalho. Parcerias como essa nos ajudam a alcançar esse propósito”, explica Mariana Xavier, coordenadora do programa Melhores Condições de Trabalho.

Quem é quem

Mariana Xavier está à frente desse trabalho no Instituto e, além do projeto Vozes da Moda, ela coordena iniciativas de mais sete parceiros que atuam para garantir melhores condições de trabalho na indústria da moda. Saiba mais aqui.

 

E aí, está gostando da série sobre os parceiros do Instituto? Conte pra gente aqui nos comentários.

Você precisa estar logado para comentar e interagir!
Login ou Cadastre-se