Desafio de janeiro: Educando pela paz e não violência

08/01/2018 14:52

A atividade está dividida nos momentos:

O dia mundial da paz é comemorado em 1º de janeiro e foi instituído por um Papa (Paulo VI), com a intenção de que a data pudesse ser celebrada por todos os povos e em todas as religiões. De fato, não se encontra a paz onde as religiões não são respeitadas ou onde a diversidade de gênero, de raças e culturas, por exemplo, não é tolerada. A empatia precisa ser praticada e pode ser ensinada. Nos primeiros anos de vida o, seu aprendizado é ainda mais efetivo.
 

Ao contemplarmos o passado e o presente da humanidade, percebemos muitas marcas de violência. Mas, temos boas notícias: avançamos muito no mundo na implantação da democracia, na prática da solidariedade e do voluntariado, nos direitos humanos, no cuidado com o meio ambiente, na valorização da diversidade, entre tantas outras ações a favor da paz. Ao investir esforços na educação para a paz, acreditamos que podemos criar um futuro cada vez mais harmonioso. 

Educar é empreender uma aventura criativa. Educar para a paz é uma aventura que vai além da simples transferência de conhecimentos. Significa empreender uma linda jornada pelo mundo exterior e interior. Uma viagem repleta de desafios e muitas belas paisagens.
Para construir uma cultura de paz necessitamos, portanto, de uma nova forma de fazer as coisas: uma mudança em nossos padrões mentais e ações. Por onde iniciar esta jornada?

O manifesto 2000 por uma Cultura de Paz e Não-Violência traz 6 pontos que podemos seguir:

O Manifesto 2000, por uma Cultura de Paz e Não-Violência, foi esboçado por um grupo de laureados do prêmio Nobel da Paz. Milhões de pessoas em todo o mundo assinaram esse manifesto e se comprometeram a cumprir os seis pontos. Agindo no espírito da cultura de paz
dentro de suas famílias, em seu trabalho, em suas cidades. Tornaram-se, assim, mensageiros da tolerância, da solidariedade e do diálogo.

Inspirados por esse espírito e certos de que um mundo mais sustentável é um mundo de paz, convidamos você para refletir e experienciar formas de se conectar mais consigo e com o outro para espalhar mensagens de amor.

Para educar para a paz ou transmitir a paz, precisamos antes estar atentos a nós mesmos. A primeira jornada é, portanto, interna. Uma forma de se conhecer para poder conhecer o outro. Selecionamos aqui dois exercícios que poderão te ajudar a promover a paz de forma simples e
divertida.
 

Atividade 1 - Hora da meditação

“Resolva problemas de forma pacífica”

A) Reúna

Em um grupo de pessoas, peça para cada um dar uma nota de 1 a 5 para o seu humor neste momento (1 para péssimo humor e 5 para ótimo humor). Em seguida, peça para darem uma nota de 1 a 5 para o seu nível de energia corporal (1 para extremamente cansado, com pouca energia e 5 para quem está cheio de energia). Agora, explique para eles o que é atenção plena.
Na meditação, a atenção plena é um convite para que você preste atenção, observe, descreva, participe e se concentre no presente. Deixando de lado todas as preocupações e distrações.
 

B) Exercite

Você pode montar o seu próprio roteiro de meditação ou usar um aplicativo que dará instruções passo a passo sobre como se envolver em atenção plena. Peça às pessoas para se sentarem com a coluna reta, ficarem confortáveis, não incomodarem seus vizinhos e fecharem os olhos para ouvir antes de começarem a atividade de atenção guiada.
 

C) Converse sobre

Peça novamente para cada participante dar uma nota para o humor e para o nível de energia, comparando com a nota que deram antes do exercício. É importante que todos possam falar sobre as diferenças porque eles podem se sentir diferentes após o exercício. Reflitam juntos sobre a importância de estar calmo e troquem ideias sobre momentos e lugares em que possam praticar a atenção plena.
 

Atividade 2 – Elogios: alimento para a alma

“Seja compassivo e amável”
 

A) Reúna

Encontre uma forma criativa de organizar as pessoas em pares (ex: encontre uma dupla que nasceu no mesmo mês que você, que o nome começa com a mesma letra, que tem a mesma idade, etc.).


B) Exercite

Peça às pessoas para terem uma conversa positiva, sobre amenidades, sem falar de problemas com seu parceiro por um minuto. Durante a conversa, eles devem se elogiar e fazer comentários sobre coisas positivas que eles notaram sobre sua dupla.

C) Converse sobre

Ao final de um minuto, debata e discuta a atividade. Como você se sentiu ao receber um elogio? Como você se sentiu ao dar um elogio? Por que é importante ressaltar as características positivas das pessoas? O que acontece quando nos concentramos apenas em características negativas?
 

Compartilhe com a gente como foram as suas experiências nos exercícios com um post aqui na plataforma!
Como foi meditar? Você já praticava antes? Conseguiu envolver um grupo de pessoas?
Qual foi o elogio que você recebeu? Como você se sentiu ao recebê-lo?
Queremos saber como foram as suas experiências de ser mais pacífico, amável e de expressar compaixão pelo outro.
 

Buscar a paz é um exercício diário! Uma forma de espalhar a ideia é buscar outras pessoas que possam curtir com você os momentos de meditação e de ações solidárias.
 

Compartilhe com amigos, colegas e familiares o aplicativo de meditação e os exercícios que ensinamos aqui. Dá para praticar com crianças e adultos de todas as idades.
Comece o ano fazendo o bem e promovendo a paz!
Aqui vão algumas dicas de leitura para os pequenos e para quem já é grande, mas quer ajudar a
promover a paz:

O livro da paz
Coleção Abrindo Espaços: educação e cultura para a paz


Você pode baixar o material completo desse Desafio, clicando aqui.

Ficou com dúvidas? Escreva abaixo que a equipe do IPÊ te ajuda!

Você precisa estar logado para comentar e interagir!
Login ou Cadastre-se